Como ensinar as regras de um jogo: 10 Dicas

Todos nós amamos receber novos jogos de tabuleiro! Para muitos de nós, abrir um novo jogo é uma experiência semelhante em muitos aspectos à emoção sensorial de ganhar um novo brinquedo quando criança. É novo! É reluzente! Cheira a jogo novo!

Nós adoramos tanto abrir novos jogos que, com certeza, muitas pessoas que estão lendo isso compraram mais do que podem jogar. Abrir um novo jogo é, por si só, uma experiência muito prazerosa e divertida!

Mas então, você precisa aprender a jogá-lo. Não só isso, mas você também precisa pensar em como ensiná-lo para outros jogadores. Basicamente, o elemento mais importante para saber se um jogo será uma experiência agradável ou dolorosa é o quão bem você o explica.

Se você introduzir inadequadamente um jogo, é improvável que as pessoas queiram jogar com você novamente. Mas se você fizer um ótimo trabalho ensinando, não só as pessoas desejarão jogar esse jogo mais de uma vez, como também começarão a perguntar sobre os outros jogos na sua prateleira.

Assim, você terá convertido novos jogadores para o hobby, o que por si só já é uma experiência maravilhosa!

Então, se hoje você está tendo dificuldade em ensinar seus jogos, não se preocupe! Leia atentamente cada uma das dicas abaixo, e busque aplicá-las às suas explicações. Você verá que todas as dicas possuem um sentido lógico, e que em pouco tempo você conseguirá utilizá-las com facilidade.

Então vamos lá?!

 

DICA 1: APRENDA A JOGAR ANTES DE ENSINAR OUTROS JOGADORES

Essa primeira dica deveria ser autoexplicativa, mas infelizmente, para algumas pessoas, ela não é.

Basicamente, não convide as pessoas para jogar os jogos que você não faz ideia das regras. Grande parte dos jogos precisam de um tempo para entendê-los, mesmo que possuam regras simples. Muitas vezes, você até mesmo precisará jogar uma “rodada prática” para começar a entender todas as dinâmicas e conceitos aplicados no jogo.

Então, mesmo que ler o livro de regras seja um processo árduo, pegue esse fardo para você, e faça isso antes que seus amigos apareçam para jogar. Eu posso te garantir que assim as noites de jogo serão mais divertidas para todos os envolvidos, principalmente para você!

Caso você não possa ou não goste de ler o manual, pergunte no seu grupo se alguém pode fazer isso no seu lugar. Mesmo que hoje existam diversas outras formas de aprender um jogo “sozinho”, nenhuma delas é tão boa quanto ler o manual por completo. Apenas no manual você encontrará todas as regras e exceções que podem acontecer ao longo da partida.

Para melhorar seu entendimento, você ainda pode fazer o setup do jogo e brincar por algumas rodadas sozinho, de forma que você possa ter uma visão melhor do jogo na prática.

Você também pode procurar por vídeos de explicação no Youtube, ou pode procurar por versões online do jogo, onde as regras sejam aplicadas de forma mais automatizada.

Independentemente de como você otimizará seu entendimento das regras de um jogo, certifique-se de que você entendeu o jogo da melhor forma possível antes de convidar outras pessoas para jogar.

Ninguém quer ser convidado para uma noite de Twilight Imperium, e só depois descobrir que você nunca abriu a caixa. Então por favor, não seja esse cara!

 

DICA 2: APENAS UMA PESSOA ENSINA O JOGO

Essa dica é extremamente importante! Algumas das sessões de jogos mais desastrosas que eu já vi aconteceram quando várias pessoas tentaram assumir ao mesmo tempo a responsabilidade de ensinar um jogo.

Normalmente, há muito a ser processado quando você está aprendendo as regras de um novo jogo. Por isso, é muito mais eficaz quando os conceitos do jogo são explicados de maneira ordenada e lógica.

Assim, quando uma pessoa começa a explicar as regras de um jogo, ela já possui uma “estrutura” para ensiná-las. Se alguém pula na sua frente, e começa a falar de regras que não são relevantes no momento, é provável que essa pessoa se perca, e nem todas as regras sejam explicadas com precisão.

Para novos jogadores, isso fará com que o jogo pareça mais confuso do que ele realmente é, arruinando assim a sua experiência com o jogo.

Dessa forma, se você for o responsável por explicar as regras de um jogo, peça para não ser interrompido pelos demais jogadores que já conhecem as regras. Obviamente, faça isso de forma gentil, explicando que você já possui um plano para explicar todas as regras. De outra forma, pode parecer que você está sendo arrogante.

No final da sua explicação, caso outros jogadores identifiquem que uma ou mais regras estão faltando, passe a palavra a eles, de forma que no final, a explicação seja a mais completa possível.

 

DICA 3: COMECE SUA EXPLICAÇÃO COM O TEMA E COM O OBJETIVO PRINCIPAL DO JOGO

Em diversos jogos, eu já vi as pessoas apresentarem as suas regras de maneira totalmente abstrata, e só depois trazerem o tema como uma “reflexão tardia”, perto do final da introdução (Ah sim, esse jogo é para ser sobre _________).

Contudo, o que essas pessoas não percebem, é que o tema é o grande responsável por unir e permitir a comparação do que está acontecendo na mesa de jogo, com o que acontece na realidade. Em outras palavras, o tema ajuda os jogadores a entender e a se lembrar das regras e mecânicas do jogo, uma vez que promove a conexão do que os jogadores já sabem, com o que estão aprendendo.

Por exemplo, é muito fácil você explicar Dominion falando que o objetivo de cada jogador é conquistar mais pontos de vitória, o que é feito através da compra das cartas de borda verde.

Contudo, fica muito mais fácil entender o jogo se você falar que em Dominion, cada jogador representa um monarca que busca expandir seu território. Os territórios são representados no jogo pelas cartas de borda verde, e por isso elas fornecem pontos de vitória.

Uma vez sabendo que as cartas com borda verde representam territórios, fica mais fácil entender também que coletá-las já no início do jogo não é uma boa estratégia. Isso porque quanto maior o seu território, mais difícil ficará o seu gerenciamento.

Então, no início da partida, é mais aconselhável que você foque na contratação de servos, e na construção de alianças, garantindo assim melhores rendimentos por toda a partida.

Perceba, portanto, que ao explicar o tema, você permitiu que os demais jogadores pensassem de maneira mais ampla sobre o jogo, como se estivessem tomando as decisões na vida real, deixando assim o jogo ainda mais divertido.

 

DICA 4: DÊ UMA VISÃO GERAL DO JOGO ANTES DE EXPLICAR OS DETALHES

Uma das coisas mais importantes no ensino de um jogo é passar aos demais jogadores o que é mais relevante primeiro. Isso porque se os jogadores receberem informações que não são importantes já no início da explicação, eles terão dificuldade em formular hipóteses de como vencer a partida, deixando-os frustrados e confusos.

Então, antes de entrar em detalhes sobre as regras, passe uma visão geral do objetivo principal do jogo, e da estrutura das rodadas e turnos. Fale em linhas gerais quando o jogo acaba, e o que pontua no final e ao longo da partida.

Para dar um exemplo, se eu fosse explicar o jogo “As Viagens de Marco Polo”, eu falaria:

“Em As Viagens de Marco Polo, os jogadores assumem o papel de diferentes viajantes, e buscam conquistar pontos de vitória através das suas viagens, e através do comércio de especiarias.

Ao todo, serão jogadas 5 rodadas na partida, e cada rodada pode ser dividida em 3 fases. Na primeira fase, todos os jogadores coletam os bens que lhes são de direito. Esses bens podem estar vinculados diretamente ao seu personagem, ou às viagens feitas em rodadas anteriores.

Na segunda fase, os jogadores alocarão seus dados no tabuleiro, a fim de fazer uma dentre as 6 ações possíveis no jogo.

Os detalhes de cada ação serão passados mais a frente, mas por hora as 6 ações possíveis são: pegar 5 moedas, ir ao bazar, conseguir a Boa Vontade do Khan, obter um contrato, viajar, ou realizar a ação de uma carta de cidade (enquanto você fala, é importante apontar no tabuleiro cada uma dessas ações).

A segunda fase de cada rodada encerra assim que todos os jogadores tiverem alocado todos os seus dados no tabuleiro. Na terceira e última fase, os jogadores coletam seus dados e os jogam novamente”.

 

DICA 5: SEMPRE QUE POSSÍVEL, VINCULE O QUE ESTÁ SENDO DITO COM O OBJETIVO PRINCIPAL DO JOGO

Após passar uma visão geral do que acontecerá ao longo da partida, você deve entrar em mais detalhes sobre cada uma das ações que os jogadores podem executar no seu turno.

Preferencialmente, você vai querer vincular cada uma das ações possíveis com o objetivo principal do jogo, facilitando assim que os demais jogadores entendem a relevância das suas ações.

Por exemplo, caso eu fosse continuar a explicação de As Viagens de Marco Polo, ela ficaria assim:

“A principal forma de marcar pontos ao longo da partida é através da comercialização de especiarias, representada aqui pelo fechamento de contratos. Todos os contratos do jogo possuem pré-requisitos marcados na porção esquerda da peça, e recompensas marcadas a direita.

Então, para fechar um contrato, você precisará obter primeiro todas as especiarias marcadas na esquerda. Para conseguir essas especiarias, você pode ir ao bazar, conseguir a Boa Vontade do Khan, viajar, ou realizar a ação de uma carta de cidade. Todos os contratos do jogo dão pontos de vitória, e mais alguma recompensa, sendo que alguns dão mais pontos que outros.

Dessa forma, conseguir as especiarias certas te permite fechar mais contratos, o que de dá mais pontos ao longo da partida”.

Em seguida, eu entraria nos detalhes de cada uma das ações, explicando por exemplo como ir o bazar ou como usufruir da boa vontade do Khan.

Mas perceba que como agora os jogadores já sabem como essas ações se ligam ao objetivo principal do jogo (conseguir pontos de vitória através do fechamento de contratos), fica muito mais fácil eles entenderem qual a importância dessas ações.

 

DICA 6: JOGUE UMA RODADA OU ALGUNS TURNOS “SEM VALER NADA”

Agora que você já passou uma boa visão de como as rodadas e turnos funcionam, e já explicou em mais detalhes cada uma das ações que os jogadores podem fazer, chegou a hora de colocar a mão na massa, e ver se as pessoas assimilaram tudo o que você disse.

Para isso, eu recomendo que você peça aos jogadores para que joguem uma rodada, ou alguns turnos, “sem valer”. Isso é, explique que alguns turnos serão jogados com o intuito de ver se todos estão entendendo o jogo, mas que nada disso contará pontos. Depois desses turnos, o jogo será reiniciado, e os pontos começarão a contar.

Nesses turnos, você também terá a oportunidade de explicar as regras e exceções que não conseguiu inserir na sua explicação inicial, facilitando ainda mais o entendimento dos outros jogadores.

Você pode dar dicas estratégicas, opinando sobre qual a melhor ação em cada turno, e pode até mesmo fazer jogadas que não te trazem tantos benefícios, mas que exemplificam situações interessantes que podem aparecer ao longo do jogo. Situações que caso não sejam explicadas na prática, ficam muito abstratas de se entender.

Por exemplo, em As Viagens de Marco Polo, fica muito mais fácil explicar algumas das ações bônus jogando alguns turnos sem valer nada.

Adquirir um dado preto, por exemplo, pode não fazer tanto sentido para um jogador inexperiente. Contudo, assim que o dado é utilizado para repetir uma ação já feita naquela mesma rodada, fica mais fácil assimilar que essa pode ser a única forma de acumular grandes montantes de uma especiaria em um mesmo turno.

 

DICA 7: QUANDO POSSÍVEL, DÊ ALGUMAS DICAS DE COMO VENCER A PARTIDA

Essa é a parte do jogo que geralmente não aparece nos livros de regras, mas que se você esquecer, ou pular, impactam severamente a experiência dos outros jogadores.

Isso é, agora os jogadores já entendem como o jogo funciona, como eles executam suas ações, como ganham pontos, e porque cada ação deve ser feita. Contudo, existem dicas táticas e estratégicas que só os jogadores mais experientes sabem, e que quando explicadas já na primeira partida, podem melhorar muito a qualidade de jogo.

Por exemplo, em As Viagens de Marco Polo, vale lembrar aos jogadores que é sempre melhor ser o primeiro ou o último jogador a viajar. Isso acontece porque o primeiro jogador é aquele que paga mais barato pela viagem, e o último a viajar é aquele que ganha o token de primeiro jogador para a rodada seguinte, o qual é um excelente bônus.

De forma similar, camelos são extremamente importantes para viajar, para cumprir contrato, para modificar o valor do dado e para adquirir novos dados pretos. Dessa forma, talvez camelos sejam o recurso mais importante do jogo, mesmo sendo o recurso mais barato no bazar. Portanto, caso você seja o primeiro jogador, é muitas vezes aconselhável que você seja o primeiro a pegar camelos no bazar, uma vez que eles são baratos, e possuem diversas serventias.

Obviamente, você não precisará revelar todas as suas estratégias. Lembre-se que falar demais aumenta o tempo da sua explicação, atrapalhando assim o entendimento dos demais jogadores. Ademais, parte da graça de um jogo de tabuleiro é descobrir algumas estratégias por conta própria, então você não deve tirar isso dos outros jogadores.

 

DICA 8: ENTENDA QUE VOCÊ NÃO PRECISA SABER DE TUDO

Mesmo tendo lido o livro de regras, e assistido vídeos de gameplay, é possível que apareçam situações na sua partida onde você não sabe o que está certo ou errado. Situações que podem ou não estar em conformidade com as regras, e que, portanto, você não tem a resposta.

Se isso acontecer, não tente ser o super-herói. Não invente regras apenas porque você não tem a resposta. Você estará certo em admitir que não sabe a resposta, e isso é muito melhor do que fingir que você sabe todas as regras.

Caso outros jogadores sintam que você não tem certeza do que está falando, ou pior ainda que você está inventando regras ao longo da partida, sua experiência de jogo será arruinada.

As regras do jogo foram testadas e existem por uma razão. Se você jogar com muitas regras inventadas, o jogo simplesmente será um fiasco. Portanto, tire 2 minutos para procurar a regra correta no manual. Se você não achar a solução no manual, faça uma rápida procura online para ver se a dúvida já não foi solucionada em algum fórum.

Na maioria das vezes, outros jogadores já tiveram a mesma dúvida que você, e você facilmente encontrará a resposta em fóruns especializados como o Ludopedia e o BoardGameGeek.

Por último, caso você realmente não encontre a resposta, discuta com os demais jogadores sobre o que fazer nessa partida, e depois poste sua pergunta online, de forma que outras pessoas possam te ajudar a encontrar uma solução.

 

DICA 9: ASSUMA O PAPEL DE CULPADO E DESCULPE-SE!

Apesar dos seus melhores esforços, em algum momento você provavelmente será confrontado em uma situação onde será considerado o “Culpado!”.

Isso porque não importa o quanto você tente ser meticuloso, em algum momento alguém afirmará que existe uma regra que você nunca explicou, independentemente de você tê-la explicado ou não.

As vezes isso acontece por esquecimento seu, ou porque as pessoas simplesmente não prestaram atenção no que você estava dizendo. As vezes, as pessoas simplesmente não gostam de perder e veem na regra faltante a oportunidade de criarem uma desculpa para estarem perdendo. As vezes, também, você pode ter comentado a regra de maneira que ela parecia clara para você, mas talvez ela não estivesse clara para os demais jogadores.

Independentemente do caso, reivindique que você fez o seu melhor, e apenas desculpe-se. Diga que essa regra está inclusa no jogo e simplesmente prossiga a partida!

Ser considerado o “Culpado” é um dos perigos de ensinar as regras de um jogo. Apenas sorria e aguente o que os outros tem a dizer. Lembre-se que críticas são sempre bem-vindas, e que é sua a responsabilidade de discernir sobre o que tem utilidade, daquilo que não passa de conversa fiada. Com certeza na próxima partida você irá se lembrar de explicar a tal estratégia ou regra que ficou faltando.

 

DICA 10: SEMPRE SE LEMBRE DA REGRA DE OURO AO ENSINAR AS REGRAS DE UM JOGO DE TABULEIRO

Como décima, e última dica, lembre-se sempre da regra de ouro ao ensinar jogos de tabuleiro:

Ao ensinar um jogo, é mais importante que os outros jogadores aproveitem o jogo do que você aproveite o jogo.

Eu sei que o jogo é seu, e que você quer ao máximo se divertir com ele. Eu sei também que você quer ganhar, e sei que você quer jogá-lo com as expansões e variantes que você acha mais divertidas.

Contudo, é importante que você pense na primeira partida de cada jogador como um investimento para futuras experiências lúdicas.

Da mesma forma que o lucro de uma primeira venda não é tão importante para um vendedor como lucro de várias vendas subsequentes, eu quero que você pense que o seu “lucro pessoal” na primeira partida, não é tão importante como o “lucro” que você terá ao poder jogar várias partidas subsequentes.

A primeira partida é apenas a porta de entrada. Se você fizer um bom trabalho, as pessoas naturalmente pedirão por mais. E muito mais diversão estará por vir!

 

PERGUNTAS FREQUENTES

Essas dicas servem para a explicação de todo tipo de jogo?
De maneira geral, esse artigo é direcionado para a explicação de jogos estratégicos de peso médio a pesados, não sendo tão útil para pessoas que buscam explicar os jogos festivos (party games), jogos de carta, jogos filler ou jogos de guerra (war games). Alguns exemplos de jogos que poderiam ser facilmente explicados com as dicas em questão são: Alhambra, Abyss, Ticket To Ride, As Viagens de Marco Polo, Dominion, Stone Age, Pulsar 2849, Rajas of the Ganges, entre outros.

O quanto eu devo ajudar os demais jogadores ao longo da partida?
Basicamente, o seu papel como explicador de regras é fazer com que os demais jogadores entendam todas as regras do jogo, e comecem o jogo com uma estratégia básica. Dessa forma, você provavelmente vai querer lembrar os jogadores de regras importantes ao longo da partida, especialmente se você ver que algum jogador está à beira de fazer uma jogada desastrosa durante a partida. Você também deve lembrar os jogadores de quais são as rodadas de pontuação, o que dispara o final do jogo, e quais são as diversas formas de pontuar ao longo e no final da partida. Contudo, o que você não deve fazer é tentar ajudar demais os jogadores, jogando o turno por eles. Se você perceber que frequentemente você está sugerindo jogadas aos demais jogadores, pare e deixe os outros jogadores tomarem decisões por conta própria. Se alguém pedir por um conselho, explique seu ponto de vista, mas busque sempre dar mais de uma opção de jogada. Fale até mesmo de jogadas ruins que poderiam ser feitas, de forma que seus conselhos possam servir também de aprendizado para todos os jogadores na mesa.

Isso significa que eu devo deixar os outros jogadores errarem nas suas jogadas?
Sim. Basicamente, essa é a principal forma com que os jogadores aprenderão o que funciona e o que não funciona em um jogo de tabuleiro. Novamente, fica aqui a dica de sempre lembrar os jogadores a respeito de jogadas desastrosas que eles podem estar fazendo. Se uma jogada ruim pode estragar completamente o jogo de determinado jogador, é gentil da sua parte alertá-lo para o que pode acontecer caso ele proceda com seu plano. Contudo, caso o erro não seja completamente desastroso, ele servirá de aprendizado não só para o jogador que o cometeu, mas também para todos os demais jogadores da partida.

Qual o tempo máximo para explicar um jogo?
Pessoalmente, eu não cronometro o tempo das minhas explicações. De maneira geral, não é muito bom que as explicações passem de 10 ou 15 minutos, uma vez que a partir disso as pessoas podem começar a dispersar, ou a esquecer das regras que você falou no início da explicação. Dessa forma, se eu percebo que as pessoas já estão querendo começar o jogo, eu jogo um ou dois turnos “sem valer nada”, para relembrar todas as regras, e nesses turnos eu busco fazer algumas jogadas variadas, para justamente mostrar algumas regras ou possibilidades diferentes que podem acontecer na partida.

Posso ou não posso ganhar?
Como o dono de um jogo, talvez você seja o jogador mais experiente na mesa, sendo aquele que tem mais chances de ganhar a partida. Dessa forma, você há de se perguntar se é ético você colocar todas as suas energias em realmente vencer a partida, ou se vale a pena deixar os outros ganharem. Para resolver esse dilema, peço que considere a regra de ouro ao ensinar as regras de um jogo de tabuleiro: Ao ensinar um jogo, é mais importante que os outros jogadores aproveitem o jogo do que você aproveite o jogo. Dessa forma, eu acho que sim, você pode ganhar a partida, desde que não faça isso destruindo o jogo dos demais jogadores. Por exemplo, se no jogo aparecer uma oportunidade de prejudicar algum adversário, mesmo que isso melhore muito a sua pontuação, procure por uma jogada alternativa, que não atrapalhe tanto o jogo dos outros. Até mesmo para que o seu companheiro de jogada queira jogar uma partida novamente desse ou de outro jogo com você. Não o traumatize logo de início! Lembre que a primeira partida de cada jogo é um investimento, e que seu objetivo é instigar as outras pessoas a jogarem mais e mais. Isso não significa que você deve deixar os outros ganharem, mas sim que é também sua a responsabilidade de cuidar do quanto os outros jogadores aproveitam a primeira partida.

Em uma primeira partida, posso usar expansões e variações?
Sim, desde que essa expansão ou variação reduza a complexidade do jogo, ou não adicione uma complexidade desnecessária à partida. Além disso, se um jogo já é complicado por si só, deixe a expansão ou variação de fora, de forma que você possa trazer novidades nas partidas subsequentes.

O que eu faço se no meio da partida eu descobrir que estou jogando com a regra errada?
Essa resposta varia caso a caso. Para algumas regras, você pode continuar jogando errado até o final da partida, uma vez que isso não altera muito o fluxo do jogo. Para outras, você provavelmente vai precisar começar a partida do zero, uma vez que ela quebra completamente a dinâmica do jogo. Então, de maneira geral, discuta com o seu grupo sobre qual a melhor decisão a se tomar. Esclareça qual a regra errada, e em conjunto decidam sobre o que vale mais a pena.

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

No final de uma partida, quando o vencedor for finalmente declarado, não comece a guardar tudo imediatamente na caixa. Deixe o jogo na mesa por um momento, e aguarde pela reflexão dos demais jogadores.

Geralmente, sem qualquer empurrão, os jogadores começarão a analisar suas jogadas, dizendo coisas como “eu deveria ter feito isso ou aquilo”.

Reflexão é uma das partes mais importantes do aprendizado, então ouça e comente. Se os jogadores finalizarem o jogo sem reação, você até pode dar um pequeno empurrão, e começar a conversa comentando as diferentes escolhas tomadas ao longo da partida, ou dando sua opinião sobre porque um dos jogadores foi o vencedor.

Esse é também um excelente momento para apontar erros estratégicos tomados ao longo do jogo. Contudo, seja humilde na sua reflexão, e não coloque ninguém para baixo, apenas apontando os erros. Seja honesto, e busque escutar mais do que falar.

No final, você saberá que fez um bom trabalho se ouvir coisas como “Eu realmente gostei desse jogo”, ou “Eu já sei o que faria diferente na próxima partida”, ou a melhor frase de todas “Podemos jogar novamente?”.

FONTE: LUDOPEDIA

 
GOSTOU? CONVIDE SEUS AMIGOS E VENHA JOGAR :)
 
error: VENHA JOGAR COM A GENTE